AO VIVO
AO VIVO
Home DIOCESE DE OSÓRIO Dom Jaime Pedro Kohl aborda o significado da ressurreição na fé cristã em artigo

Dom Jaime Pedro Kohl aborda o significado da ressurreição na fé cristã em artigo

por Melissa Maciel
A+A-
Reset

Durante o período pascal, o bispo da Diocese de Osório, dom Jaime Pedro Kohl, mergulha nas profundezas da fé cristã ao abordar o tema da ressurreição em um novo artigo intitulado “O Fato da Ressurreição”. Inspirado pela liturgia católica que neste tempo traz testemunhos vívidos desse evento central, dom Jaime destaca a importância da ressurreição como um fato irrefutável para os crentes, embora mantenha seu caráter misterioso.

Baseando-se em análises históricas e bíblicas, o Bispo ressalta a firme convicção da Igreja primitiva na ressurreição de Cristo, destacando que esta não é apenas uma doutrina, mas sim um acontecimento histórico concreto. Ele cita o testemunho dos discípulos e as escrituras neotestamentárias como fundamentos sólidos dessa crença.

Dom Jaime reconhece que, assim como para os discípulos, pode ser desafiador para o homem contemporâneo aceitar a ressurreição de Jesus, especialmente em uma era marcada pela busca por evidências científicas. No entanto, ele convida os leitores a uma leitura atenta dos textos bíblicos durante o tempo pascal, convidando à reflexão e à abertura para experimentar a alegria e o amor misericordioso de Deus manifestado na ressurreição de Cristo.

Confira o artigo na íntegra:

O fato da ressurreição

Durante o tempo pascal, a liturgia católica nos traz abundantes testemunhos da ressurreição e seu reflexo na vida dos que creem. Mesmo permanecendo algo misterioso e nem sempre fácil de explicar, para nós cristãos é um fato a ressurreição.

É Ele, o crucificado, que aparece aos seus discípulos com os sinais das mãos e dos pés chagados. E, como custassem a crer, tamanha era a novidade – estão como fora de si – que pede algo para comer. Dão a ele um peixe assado que comeu diante deles. Entenderam que era ele mesmo: Jesus, agora glorificado.

Baseado na história e na Escritura, Schelier – protestante convertido ao catolicismo – demonstra que “a Igreja primitiva não falou da ressurreição de Jesus Cristo com distanciamento e de modo descompromissado, mas com emoção e num ato de profissão de fé”. E ele argumenta tratar-se de um fato incontestável, embora conserve seu caráter de mistério.

Segundo ele, os textos neotestamentários entendem a Ressurreição como um evento, um acontecimento histórico concreto. A Ressurreição não veio da pregação, mas sim a pregação partiu do fato da Ressurreição. E da sua Ressurreição deriva a conclusão lógica de que Ele é o Senhor, como se lê no discurso de São Pedro aos judeus: “De fato, Deus ressuscitou este mesmo Jesus, e disso todos nós somos testemunhas…

Portanto, que todo o povo de Israel reconheça com plena certeza: Deus constituiu Senhor e Cristo a este Jesus que vós crucificastes” (At 2, 32-36). Não foi fácil para os discípulos acreditar na ressurreição de Jesus e pode não ser fácil para o homem de hoje, que para tudo quer demonstração científica.

Mas contra os fatos não há argumento. Mesmo que ninguém seja obrigado a acreditar na Ressurreição, sugiro uma leitura atenta dos textos bíblicos neste tempo pascal e docilidade de alma para experimentar a alegria e o encantamento do amor misericordioso de Deus manifestado no crucificado que ressuscitou ao terceiro dia como havia anunciado.

Dom Jaime Pedro Kohl – Bispo de Osório

>> Receba as notícias da Maristela sobre o Litoral Norte gaúcho e o Sul catarinense no seu WhatsApp! Clique aqui e fique bem informado.

Copyright @2024 – Todos os Direitos Reservados. Desenvolvido e criado por Cadô Agência de Marketing